29 julho 2016

Somos complicadas mesmo ou complicado é ser mulher?

Olá colegas, amigues e leitorxs!

Para quem está no meu facebook, sim, voltei a escrever poesias, tenho postados algumas, meu próximo projeto nesse sentido é escrever pensando nas pessoas, se alguém se identificar nos versos, me chamem inbox, terei o maior prazer em conversar. Hoje venho conversar com vocês sobre aquela tão batida frase dissipada aos quatro ventos e tida socialmente como natural e normal: “Mulher é muito complicada”.

Meninas, estamos acostumadas a ouvir, engolir, concordar, acreditar e não pensar em como não somos tão complicadas assim, afinal, a complicação colocada na frase, está em como uma frase dessas esconde misoginia e repudio ao feminino, ao ser mulher.

Complicado é ter que atender um padrão social, que nos coloca como marionetes e nos desqualifica a todo instante.

Complicado é não saber se defender das atrocidades cotidianas, pois desde pequenas somos condicionadas ao belas e recatadas e nossas brincadeiras giram em torno disso, aos homens é dado o direito de aprender a se defender fisicamente e psicologicamente em suas brincadeiras.

Complicado é não poder reagir por medo de ser mais violentada ainda.

Complicado é sermos coagidas ao não prazer e odiar nossos corpos, inclusive temos que manter nossos corpos no padrão através de sofrimento (depilação, cirurgias).

Complicado é não poder envelhecer e sentir-se bem com nossos corpos, pois mulher pra ser bem vista, têm que se negar o tempo todo, utilizando toda a parafernália artificial, não podemos aparentar mais idade.

Complicado é viver num mundo onde ser mulher é ser amaldiçoada desde o nascimento e ser tratada como objeto sexual.

Complicado é uma sociedade que nos coloca como vilãs, falsas, desequilibradas e incapazes de criar laços umas com as outras, pois somos perigo pra nós mesmas.

Complicado é cumprir dupla jornada de trabalho, pois muitas de nós trabalhamos e cuidamos da casa e das necessidade dos filhos, enquanto ozomi, precisam descansar e brincar com seus brinquedos.

Complicado é ser mãe solteira e arcar com tudo sozinha e se reclamarmos ou se denunciamos isso, somos taxadas de exageradas e insanas, pois homem é assim mesmo, não sabe cuidar de filhos, é papel da mulher ficar sobrecarregada com tudo e chegar a exaustão.

Complicado é sermos reduzidas às nossas genitálias e corpos, ao invés de nossas capacidades como seres dotadas de todas as capacidades mentais.

Complicado é que pra ser mulher, precisamos o tempo todo sofrer a pressão do julgamento, críticas e represália.

Complicado é ter que submeter nossos desejos aos homens, pois só eles têm o direito ao prazer, pois mulher que conhece o corpo e exige prazer, não merece respeito.

Complicado é falar não e não ser respeitada.

Complicado é ter medo de dizer não e ser abandonada ou estuprada.

Complicado é se submeter ao sexo sem estar com vontade, só pra satisfazer a vontade alheia.

Complicado é não poder conversar sobre sexo abertamente, isso é coisa de homem e da mulher se exige o pudor.

Complicadíssimo é sucumbir ao patriarcado, pois nos dividem em “pra casar ou pra trepar”.

Complicado mesmo, é não poder ser humana, com desejo, pensamentos, vontades, pois somos fêmeas e isso tudo que eu escrevi é mimimi, drama, loucura, promiscuidade.

Homens são complicados, seus costumes são complicados, suas exigências são complicadas, sua coerção é complicada, afinal, ser mulher onde a moral e os bons costumes são e regras e formas de aprisionar as fêmeas é complicado. 

Eles dizem que somos complicadas como uma maneira de desqualificar nosso estar no mundo e não enxergam os privilégios que já possuem (claro, não enxergam pois é naturalizado), passam por cima do que nos é de direito e o direito de ir e vir é só deles. 

Não somos complicadas, somos socialmente adoecidas pelo patriarcado diariamente.


Nenhum comentário: