12 novembro 2014

O Afeto é tudo que te afeta

Olá querides!

Trocadilho bom né? Muito lógico? Nem tanto.

Quando alguém diz algo sobre afeto, penso que falam de amor, mas o afeto não é só amor, como também as paixões não estão somente ligadas à excitação. Todas as emoções e sentimentos são constituintes do afeto, tais como: amor, raiva, tristeza, angústia, desespero e é justamente aí que entra a reflexão, pois o afeto é todo sentimento e emoção que nos afeta diretamente e internamente, é como uma flechada na alma da gente.

O afeto é tudo que deixa a gente com o pé no chão e sem chão, ou seja, é tudo que mexe realmente conosco e se não há afeto ou significação afetiva, não existe vida ou movimento interno, pois o afeto é a carga que impulsiona nossas ações e reações perante o mundo interno e externo e se este não existe, não fede e nem cheira, é como se para algumas situações estivéssemos em piloto automático, pouco responsivos às situações.

Se você não se envolve afetivamente com seu emprego, nem que seja por desagrado, provavelmente se teu chefe chamar tua atenção em relação ao seu “mau desempenho”, entra por um ouvido e sai pelo o outro. Entretanto, se você tem carga afetiva pela função que exerce, dependendo da situação, tira tua noite de sono e te deixa neurótico, pois, algum conteúdo interno e afetivo mexeu contigo, seja por medo de perder o emprego e ficar sem o dinheiro, seja por sentir-se injustiçado, por trabalhar e não ser reconhecido, dentre outras coisitas mais.

Quando sentimos medo, fugimos ou enfrentamos o “bicho papão”, já que, se não houvesse o significado afetivo, seriamos indiferentes à situação.

Vou exemplificar sobre o sentimento raiva, ou seja, pode ser que em algum momento passamos por frustração, seja por alguma pessoa ou instituição e o que ficou para nós internamente foi a raiva, seja de não alçarmos nossos objetivos ou de não compreender o acontecido, pois a ignorância causa raiva também, ficamos transtornados quando não entendemos determinada situação, ou não temos como entender, como se estivéssemos em uma camisa de força. Sentimos raiva quando defendemos algumas ideias e a sociedade faz questão de amordaçar nossos ideais e posso dizer conscientemente, que isso tudo é afeto.

Só evoluímos em determinados aspectos de nossas vidas quando há significado afetivo em nossas inquietações, pois, se existe significado é porque algo nos afetou e movimentou nosso olhar para a questão.

Termino o texto por aqui e deixo vocês com a música “Socorro” do Arnaldo Antunes.


Nenhum comentário: