17 outubro 2010

Sobre a fantasia e os estímulos áudios-visuais.

Olá pessoal!

Estive refletindo sobre os videoclipes que abordam conteúdos sexuais e me aventurarei a fazer uma ponte sobre a ligação disso com as nossas fantasias. Como sou fã assídua do youtube e passo muito tempo assistindo diversas coisas, tentei lembrar o máximo de clipes que utilizam essa temática e tentei apreender a mensagem deles, para escrever esse texto.

Já ouvi diversas vezes que o gênero feminino é ligado ao sentimento e o masculino a imagem, mas nunca concordei com essas comparações, pois tanto o homem quanto a mulher, são estimulados sexualmente por imagens, sons, dentre outras coisas, sendo assim somos estimulados por todos os nossos sentidos.

Já ouvi falar também que somos seres de afetos virtuais e concordo mais com essa afirmação, pois tudo parte da nossa subjetividade e se não há significado afetivo, não há estimulação e muito menos atração por determinado objeto de desejo.

Nossas relações afetivas só ocorrem quando sentimos algo, inclusive, existe o amor platônico para comprovar a ideia de que não é necessário um objeto real presente, para que aconteça a atração afetivo-sexual. Relacionamo-nos virtualmente com as pessoas sim, pois, primeiramente o afeto é do indivíduo e pertence somente a ele, é totalmente narcísico, para que depois seja transferido ao objeto desejado. Quando sentimos atração por algo, necessariamente fantasiamos sobre a atração, negamos a realidade e a frustração, em troca de uma “realidade” prazerosa, mesmo porque atração racional não existe.

Quando assistimos a vídeos, filmes ou ouvimos músicas e nos sentimos atraídos sexualmente pelo conteúdo, existem rudimentos inconscientes que se identificam por esses elementos e nos projetam na vivência, como se fizéssemos parte do conteúdo, ocorre certo tipo de projeção e incorporação. Talvez por isso coleguinhas, que tais videoclipes musicais, roubem nosso fôlego, pois, a fantasia (algo que desejamos internamente) se identifica e nos projeta nos vídeos. Vivenciamos virtualmente o que ocorre, fantasiamos em cima e para melhorar um pouco mais esse evento, há o estimulo audiovisual se completando.

Bom, vou terminando o texto por aqui e sei que está mais curto, mas, às vezes vai ser assim, pois, não tenho intenção de ser repetitiva. Escolhi três videoclipes a dedo para mexer um pouco com vocês, assistam e divirtam-se. Talvez não se sintam atraídos pelas músicas mas, o universo pop usa e abusa desse conteúdo.






Nenhum comentário: