18 janeiro 2010

O eterno buraco da fechadura, uma reflexão sobre o voyeurismo.


Olá amigos, colegas e leitores!

É com imenso prazer, que apresento o novo layout do blog e trago nesse post um texto sobre voyeurismo. Sei que já estavam com saudade dos textos voltados para sexualidade, pois já havia algum um tempo que eu não optava diretamente algo envolvendo essa temática. Vou usar o termo voyeur no sentido masculino, mas existem mulheres voyeur também e sei também que algumas pessoas, vão se perguntar se o termo pode se relacionar somente à sexualidade, e já digo antes de comentários, pode sim envolver outras formas de prazer sim.

Vou começar esmiuçando um pouco o conceito de voyeurismo, enfim, pode ser a obtenção de prazer por observação de outra pessoa, esteja esta pessoa no momento, envolvida ou não em práticas sexuais. O voyeur não interage fisicamente e verbalmente com a fonte observada, ou seja, observa de uma certa distância, e em alguns casos a outra pessoa não está ciente de seu espectador.

O risco de ser flagrado, muitas vezes gera excitação em pessoas adeptas desse comportamento. Para o voyeur não é necessário o sexo explícito (implícito para pessoa que está envolvida no ato), isto é, um modo de se vestir já é o bastante para provocar a libido desses observadores. Bom então concluindo o conceito, são pessoas que observam as outras para obter prazer e que escondidos obtém prazer à custa de outras pessoas que nem mesmo sabem o que ocorre em alguns casos.

Pessoas feias? Depravadas? Doentes? Aí me pergunto o que isso tem em comum comigo e com você que está lendo? E já digo de primeira meus queridos, muita coisa.

O que eu estou discorrendo nesse post é justamente sobre a naturalidade de que isso ocorre em nossas vidas e que um termo como esse não pode ser aplicado somente em situações extremas, e muito menos somente a pessoas sexualmente doentes.

Pude notar ao acessar o site da Revista Lado A, que em uma pesquisa realizada no mês de agosto sobre fetiches, ¼ dos internautas afirmam sentir prazer em ver outras pessoas envolvidas em relações sexuais. Me chamou a atenção também, um outro post no blog Sexo Cult falando sobre o projeto artístico de Sebastian Kempa, em que as pessoas podem despir qualquer um de seus 24 voluntários com um click do mouse. Esse projeto e o site são intitulados “Naked People”, para quem tiver curiosidade.

Voltando um pouco à discussão acima iniciada, pegando o exemplo da pesquisa e o do artista, a curiosidade em des-cobrir, no sentido de algo encoberto, é maior do qualquer regra social ou moral, desde pequenos somos atraídos para o buraco da fechadura e existe a máxima de que “Tudo que é proibido é mais gostoso”. É interessante e prazeroso observar a intimidade de outras pessoas e isso se torna melhor quando elas não percebem, torna-se algo perigoso, mas gostoso no final das contas. No caso do artista, as pessoas acessam o site e retiram as vestimentas dos voluntários, para saciar a curiosidade ali instituída e aí mora um comportamento voyeur.

Os meninos quando crianças adoram, quando conseguem ver escondido, a calcinha da amiguinha, mesmo que seja o ato mais bobo, é algo que desperta a libido e como eu disse acima, é proibido e gostoso e criança tem um certo prazer em fazer travessura.

É bom observar o orkut alheio, sem ser visto ou percebido pelo outro internauta, saber as minúcias que ocorrem na vida dessas pessoas e quando a porta está trancada é horrível, pessoas chegam a pedir para entrar do orkut de outras pessoas. Criamos perfis fakes (perfil falso) para obter informações sobre as pessoas e não sermos identificados. É por isso e por outras razões que digo que somos voyeuristas natos, pois automaticamente somos tentados a desvelar o que nos chama a atenção e nos dá prazer.

Outra forma voyeur é o ato de assistir filmes pornográficos, atualmente a Internet nos oferece muitas ferramentas que facilita a prática e alguns sites disponibilizam gratuitamente vídeos de todas as formas imagináveis nesse segmento. A indústria de filmes pornográficos mundialmente rende muito e inclusive no período da crise econômica, o setor não foi tão abalado, quanto outros setores.

Somos atraídos desde crianças por essa tentadora curiosidade e isso não é errado e muito menos criminoso da nossa parte, penso que isso, simplesmente é uma das peças que fazem parte essencial da composição da natureza humana. Observar sem que sejamos percebidos, desperta nossas fantasias e nos deixa à vontade para satisfazê-las, nem que seja somente no plano das ideias. O buraco da fechadura agora é bem maior do que antigamente antes da era da digital e da comunicação escancarada, ele engloba somente o mundo inteiro de janelas indiscretas, abertas para serem observadas e degustadas por pessoas sedentas de curiosidade.


Pessoal termino meu texto por aqui, deixando um vídeo do Lulu Santos, que faz um recorte muito legal sobre a temática e aproveito para agradecer mais uma vez a presença de vocês por aqui, sei que é um pouco piegas, mas estou muito feliz por passar das 2000 visitas e devo essa felicidade à todos vocês, leitores novos e antigos, que sempre me incentivam.


Nenhum comentário: