28 dezembro 2008

Direitos Sexuais e Reprodutivos.

Olá meus queridos amigos e leitores.

Essa semana aconteceu uma coisa incrível em minha vida: Ganhei a Cartilha dos Direitos Sexuais e Reprodutivos e fiquei surpresa, pois não sabia que o Ministério da Saúde distribui esse tipo de material, ponto positivo para o governo. Esse post decidi não escrever, mas sim publicar os direitos para vocês e para quem tiver curiosidade e tempo, o endereço da cartilha é

http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/cartilha_direitos_sexuais_2006.pdf

Direitos Sexuais:

-Direito de viver e expressar livremente a sexualidade sem violência, discriminações e imposições e com respeito pleno pelo corpo do parceiro.
-Direito de escolher o parceiro sexual
-Direito de viver plenamente a sexualidade sem medo, vergonha, culpa e falsas crenças.
-Direito de viver a sexualidade independentemente de estado civil, idade ou condição física.
-Direito de escolher se quer ou não quer ter relação sexual.
-Direito de expressar livremente sua orientação sexual seja ela: heterossexualidade, homossexualidade, bissexualidade, entre outras.
-Direito de ter relação sexual independente da reprodução.
-Direito ao sexo seguro para prevenção da gravidez indesejada e de DST/HIV/AIDS.
-Direito a serviços de saúde que garantam privacidade, sigilo e atendimento de qualidade e sem discriminação.
-Direito à informação e à educação sexual e reprodutiva.

Direitos Reprodutivos:

-Direitos de as pessoas decidirem, de forma livre e responsável, se querem ou não ter filhos, quantos filhos desejam ter e em que momento de suas vidas.
-Direito a informações, meios, métodos e técnicas para ter ou não ter filhos.
-Direito de exercer a sexualidade e a reprodução livre de discriminação, imposição e violência.

Sei que alguns desses direitos ainda com todos rótulos e tabus que a sociedade impõe, não podem ser seguidos à risca, mas pelo menos isso dá mais liberdade de pensamento. Ainda não podemos contar com uma política que valorize o planejamento familiar e educação sexual.

Desejo a todos Feliz Natal atrasado e que o ano de 2009 seja recheado de amor, sexo e sabedoria, pois sem a última nenhum dos dois itens rolam legal.

10 dezembro 2008

Verdades e mentiras acabam aparecendo...

Era uma vez uma garota de 15 anos chamada Gabriela. Era uma adolescente exemplar, todos na escola admiravam sua beleza e inteligência.

Normalmente nos intervalos da escola ficava na companhia de suas amigas paquerando os meninos e conversando e foi nessa época que conheceu Miguel, um aluno do colegial. Eles começaram a ficar e com o tempo virou namoro. Os pais dela adoravam o garoto, pois sempre deixava Gabriela em casa no horário certo e era totalmente simpático com eles.

O que Gabriela e seus pais não sabiam era que Miguel fazia uso de maconha e álcool já com essa idade. Quando deixava Gabriela em casa se comportava como um namorado normal, mas quando saia sozinho, seu comportamento mudava. Era só sair de lá que corria para encontrar os amigos e sempre bebendo muito, e acabava ficando e transando com outras garotas. Miguel era um garoto lindo, fazia sucesso com as meninas, era o tipo pegador.

E assim ele conseguiu enganar Gabriela por 2 anos, mas a garota começou a desconfiar dele e começou a sair mais com ele. Ele ficava irritadíssimo, mas aceitava, pois gostava da namorada. No início ele não fumava maconha e bebia pouco na frente dela, mas com o tempo foi usando gradativamente e foi nessa época que Gabriela completou 17 anos e perdeu a virgindade com o namorado.

Gabriela com o tempo começou a beber e fumar também e passou a acompanhar Miguel em todas as baladas deixando suas amizades de lado. Começaram a usar outros tipos de drogas até acontecer o vício em cocaína. Passavam o dia todo dormindo e a noite encontravam os amigos e cheiravam a noite toda.

Os pais de Miguel deram um carro de presente por que o garoto entrou na faculdade e certo dia saindo da faculdade para buscar Gabriela, passou para comprar cocaína, foi pego comprando e levado para delegacia e nesse mesmo dia os pais de Gabriela ficaram sabendo do comportamento do garoto e acharam cocaína no quarto da garota. Entraram em contato com uma clínica e internaram Gabriela. Miguel também foi internado para tratamento em outra clínica.

Alguns dias depois da internação, Gabriela estava fazendo tratamento e sua percebeu que sua menstruação estava atrasada e desesperada buscou o médico, que resolveu levá-la para fazer o teste de gravidez e o resultado foi positivo. O médico e a família decidiram que o pré-natal seria feito na clínica, dando continuidade ao tratamento de desintoxicação. Gabriela foi fazer exame de sangue e ultrassom acompanhada pela mãe e quando foram pegar os resultados, uma nova surpresa: Gabriela era HIV soro positivo. Imediatamente o exame foi feito em Miguel, que mostrou o mesmo resultado.

Gabriela iniciou o tratamento da doença para não contaminar o bebê e se manter viva. A menina passou parte da gravidez atormentada por gerar uma criança que poderia vir ao mundo já doente e com ódio de Miguel que havia traído ela e não se protegido. A criança nasceu saudável e Gabriela na época estava com a saúde boa também, pois havia seguido o tratamento corretamente. Miguel terminou o tratamento de desintoxicação na clínica e concluiu a faculdade.

A história acima é fictícia, mas poderia ser real, então deixo a reflexão, pois sempre achamos que só acontece com as outras pessoas, mas pode acontecer com todos, independentemente do uso de drogas, Gabriela já havia contraído o vírus antes de fazer uso de drogas.


Gente está chegando o ano novo e as férias, momento que os hormônios ficam a flor da pele, cuidem-se por favor. Com isso não se brinca, dá para brincar sem engravidar ou pegar doenças.