30 novembro 2008

Sexo x Telejornais- A televisão sem pé nem cabeça.

Olá caros amigos e leitores.

Essa semana tive o desprazer de assistir a quase todos os programas jornalísticos por um único motivo: saber como anda esse mundo asqueroso e pude notar que nada realmente mudou no mundo e que violência vende melhor que outros assuntos. Tive que me obrigar pois tinha hora que não conseguia mais assistir, pois uma matéria emenda na outra, só falando de ataques terroristas, fraudes, etc.

O ano passado tive o grande prazer de acompanhar a fala em uma jornada da psicóloga Carla Cecarello que apresentava um programa no SBT sobre sexualidade e que deixou de ir ao ar pois pegava mal para emissora um programa desses. Esse programa era o típico programa de sexualidade, as pessoas ligavam e tiravam suas dúvidas com a psicóloga, sendo que inicialmente, o programa era transmitido as 22:15, mas por ordem judicial mudou para mais tarde.

A minha inquietação e de outras pessoas é essa:

Por que todos os dias somos obrigados a assistir telejornais que escorrem sangue e um programa com fins educativos não pode ir ao ar antes das 23:00?

Aposto na ganância, simplesmente pelo fato de que violência vende mais e saúde de menos, existe também o tabu que reina na sociedade que falar de sexo é algo proibido. Enquanto isso o mundo fica doente, as DST/AIDS vão se alastrando e o índice de gravidez precoce aumenta a cada ano por falta de orientação sexual e planejamento familiar. Essas tarefas cabem ao governo, mas como o governo não se preocupa, surgem programas como esses que são proibidos pelo próprio governo.

Quando é liberado em horário nobre, a questão é tratada de forma vulgar e decadente, ou seja, de forma “desinformativa”, mostrando um aspecto artificial do que deveria ser, não sou moralista, mas penso que limites existem, e estes não devem ser extrapolados.

E o beijo gay então? Quando acontece em algum programa vira sensacionalismo, aí mostra nos telejornais a repercussão que isso gerou e aí de praxe mostram pessoas que são contra ou a favor. Na minha opinião que convivo com diversidade sexual muito bem, acho RIDÍCULO, querem causar com um assunto que não deveria nem existir, pois é falta de respeito e de educação com o próximo.

Concluindo meu post: Se tem sangue, drogas, humilhação, vulgaridade, etc, pode passar na TV, mas se é pra educar, proteger a saúde é proibido e pra piorar é feio gente, coisa de pessoas de má índole.

“É que a televisão
Me deixou burro
Muito burro demais
E agora eu vivo
Dentro dessa jaula

Junto dos animais...”

4 comentários:

Anônimo disse...

e isso ai raquel, tb acho que a tv deve ser mais liberal e menos hipocrita, valeu pelo post e ate mais ver

Raquel Moretti disse...

Gostaria de saber quem é vc, mande e-mail.

Vecna's cave disse...

Vamos lá...
A televisão brasileira, sempre foi motivo para eu me envergonhar dos meus compatriotas.
Infelizmente, é essa cambada de ignorantes, vulgo "telespectadores", que fazem as coisas serem assim.
As novelas começam a exibir sexualidade a partir das 6h da tarde. Inclusive com um pseudo-moralismo NOGENTO em malhação, cheio daqueles discurssos politicamente corretos que não atingem ninguém.
Depois disso, é só putaria.

Entretanto, quando vai ao ar algum programa educativo, que trata a sexualidade de forma aberta, sem explorar alguma sexualidade "alternativa" [Entenda por alternativa aquilo que não é compatível com o "homem de bem" ou "cidadão médio" - Aquele esquizofrênico da classe média cheio de moralismos estúpidos e desejos reprimidos.], sem sensacionalismo, sem vulgaridade...
É censurado porque meia dúzia de velhas beatas que ficam vendo putaria na televisão até tarde [big brother? oi?] se sentem ofendidas.

Como já havia lido em algum texto...
O Brasil é um país muito promíscuo, que não sabe nada de sexo. Diferente de alguns países sérios, mais recatados, que sabem tudo.

Raquel Moretti disse...

Oi meu querido,estou com saudade dos seus comentários!!!!
Concordo contigo Paulo, lindo teu comentário.
Como diria alguém por aí "A ignorância atravanca o progresso".